Você está na Página 2 de 144

FAFEN – Reunião com a bancada do PT na ALBA

Nesta Terça às 13h, tivemos uma reunião com a bancada do PT na Assembléia Legislativa Da Bahia, onde passamos algumas informações sobre a FAFEN para @s deputad@s, como a sua importância, e o porque não podemos permitir que esse fechamento anunciado pela Petrobras nesta manhã aconteça.

Destacamos os principais impactos negativos que esse fechamento pode causar, como a perda de 700 empregos diretamente relacionados a FAFEN, além desses, serão extintos outros postos de trabalho ligados a cadeia produtiva da mesma, sendo que, esse fechamento também irá impactar na perda de arrecadação do ICMS para o estado da Bahia e do ISS para o município de Camaçari.

Outros dois pontos que destacamos, foram, primeiro, a questão da FAFEN ser a produtora de insumos para 16 outras fábricas do Polo Petroquimico De Camacari-Ba, onde algumas dessas empresas inevitavelmente vão acabar parando, a exemplo da UNIGEL, e o segundo ponto, é o aumento da dependência de importação de fertilizantes nitrogenados. O que vai na contramão de tudo, pois se a demanda de fertilizantes nitrogenados só aumenta, porque deveríamos parar nossa produção deles aqui na FAFEN para comprar de fora do país???? Hoje já importamos cerca de 70% dos derivados, com o fechamento da FAFEN nos tornaremos ainda mais dependentes.

Assim, vemos que esse é um ataque direto a soberania nacional, e não podemos permitir que ele continue. Fechamos um compromisso com tod@s @s deputad@s, deles se pronunciarem na tribuna, e de nos ajudarem no processo de articulação com o governador Rui Costa, para que ele se junte ao governador de Sergipe nessa pressão ao governo federal ilegítimo e ao presidente entreguista da Petrobras, Pedro Parente.

Não ao fechamento das FAFENS BA e SE!

Marielle Presente

Acordo hoje mais triste que ontem, mais indignado e também mais alerta. Acordo hoje ao som de mais uma trombeta tocada por este regime de exceção que muitos ainda acham exagero quando falamos. A tristeza da notícia da morte da Marielle nos invade e junto vai um pouco de nós.

Conheci Marielle Franco num ato do VAMOS na Cinelândia e ela representa para mim um grande quadro da esquerda, com um discurso e uma prática que nos davam a esperança de que, realmente, nós podemos ajudar a mudar o mundo.

A companheira Marielle estava relatora da Comissão da Intervenção Militar na Câmara no Rio de Janeiro e no domingo passado havia denunciado em suas redes as ações truculentas da Policia Militar na favela do Acari, região do Irajá, por isso, não podemos descartar a hipótese de crime político. Todo ‘modus operandi’ colabora com a suspeita.

Uma mulher, negra, que denunciava a corrupção na câmara e na polícia, mãe e defensora da igualdade, nascida e criada na favela da Maré foi tombada. Estamos em um verdadeiro Estado de Exceção e as nossas posições ideológicas podem ter um alto preço, o preço de nossas vidas!

Estamos de luto e continuaremos na luta.

#MariellePresente

Não podemos deixar o Lula ser preso

Não podemos deixar o Lula ser preso, como se fosse qualquer um. Ele é inocente e o povo brasileiro tem o direito de votar nele para Presidente da República, nesse ano de 2018, e voltar a ter Esperança!

Precisamos fazer um grande acampamento, na casa do presidente Lula. Tem de ter luta e resistência para todo o Mundo saber o que está ocorrendo no Brasil!!!
Lula não merece ir para a prisão, mesmo que venha a ser domiciliar, como uma ovelha indo ao matadouro e tod@s nós assistindo pela TV o teatro político da PF,

PM-SP, Força Nacional e Forças Armadas com centenas de policiais, armas carros, helicópteros e a mídia como um bando de urubus na carniça!

Não aceitaremos isso!!!

“A prisão de Lula vai ser muito perversa ao povo brasileiro e nós temos que deixar bem claro a toda sociedade: Nós não vamos assistir, mansamente, a prisão do nosso líder. Aliás, do líder do povo! Queremos dizer em alto e bom som: Nós vamos com Lula até o final! Nós vamos com Lula às últimas consequências!”

(Gleisi Hoffmann – Presidenta do PT e Senadora da República)

Como disse o companheiro João Pedro Stédile do MST, no Ato em Defesa da Democracia e do Direito de Lula ser Candidato, no centro de Porto Alegre – RS (24/01/18), falando para mais de 50 mil pessoas, na Esquina da Democracia: “se forem prender Lula, terão de prender tod@s nós primeiro”.

Com certeza, eu e a maioria dos militantes do Movimento Sindical e de outros Movimentos Sociais estamos no meio de tod@s!!!

Luta e Resistência!

 

Informativo Sindical Sondagem 02/03

Reunimos no dia de ontem (01/03), na sede da Petrobras no Rio de Janeiro, com o Gerente Executivo da Petrobras Nilo Duarte, para tratar das questões da segurança dos trabalhadores, da manutenção dos empregos e investimentos nos campos terrestres, com ênfase na sondagem. Fizemos uma análise do setor e passamos os problemas que os trabalhadores das empresas Perbras, Braserv e Conterp, tem denuciado para os sindicatos.

Em relação a segurança, sugerimos uma análise do “Tempo Padrão“, mudanças no papel e no regime do encarregado das sondas e mudanças na fiscalização das SPTs. Sugerimos a criação de um Fórum de Segurança permanente, para a sondagem, com participação da Petrobras, empresas, sindicatos e CIPAs. Sugerimos também, a criação de uma comissão conjunta PetrobrasXEmpresasXSindicatos, para avaliar e estudar o processo de operação e funcionamento das SPTs, com o objetivo de aperfeiçoar a operação na perspectiva da segurança dos trabalhadores envolvidos.

Na segurança patrimonial, sugerimos a criação de uma ronda específica para as sondas, de forma a dar uma atenção mais específica para esse setor.

Tratamos também da paralisação das sondas quando da ocorrência de acidentes, e a necessidade de encontrar um ponto de equilíbrio entre a segurança dos trabalhadores, a continuidade operacional e a preservação dos postos de trabalho.

Nilo ficou de analisar internamente as proposições e preocupações apresentadas por nós, e em 30 dias, teremos uma nova reunião. Ele ficou de tratar hoje (02/03), a situação da Braserv que continua com as sondas paradas, em reunião com a direção da empresa, sobre retomada das operações e as penalizações sofridas pela Brassrv desde o acidente.

Participaram dessa reunião, Deyvid e Radiovaldo pelo Sindipetro Bahia e Enéias pela FUP.

Reino Unido, que foi a Meca das privatizações nos anos 80, agora em 2018 quer a volta do controle estatal de serviços essenciais.

O “Estado mínimo” se mostrou uma bomba-relógio social e os números de pesquisam na Inglaterra confirmam isso:

• 83% a favor da nacionalização da água
• 77% a favor da nacionalização da eletricidade e gás
• 76% a favor da nacionalização das linhas férreas.

O jornal The Guardian, um dos mais respeitados jornais da Inglaterra, publicou artigo sobre a atual opinião dos britânicos sobre privatizações e como a propriedade pública está na moda novamente. “Transferir os ativos públicos da Grã-Bretanha para a propriedade privada e confiar apenas na regulação para garantir que eles fossem gerenciados para oferecer um interesse público mais amplo foi sempre uma aposta arriscada. E essa aposta não valeu a pena”, explica o artigo de Will Hutton, diretor do Hertford College, em Oxford e presidente do Big Innovation Centre.

Ler Mais

Página 2 de 144