Você está na Página 2 de 141

Ato de filiação de Petroleir@s ao PT

No dia 02 de outubro, na sede do Sindicato dos Petroleiros da Bahia, 15 diretores do Sindipetro se filiaram ao Partido dos Trabalhadores, reforçando o time do PT na Bahia.

Um dos diretores, Radiovaldo Costa, que foi vereador de 2005 a 2016 (3 mandatos) e candidato a prefeito em 2016, na cidade de Alagoinhas e teve quase 12.000 votos se filiou na tarde de ontem. “O meu retorno ao PT se dá porque continuo acreditando nas bandeiras do partido e na necessidade dos trabalhadores se organizarem, principalmente nesse momento que estamos enfrentando no nosso país. A nossa vertente de defesa interna é fortalecer os trabalhadores e as trabalhadoras do campo e da cidade e o movimento sindical”, explanou Radiovaldo.

Atualmente, o PT é um dos partidos com maior força e popularidade no Brasil e segundo pesquisas, é o partido preferido dos brasileiros, mesmo com o constante ataque da mídia golpista e da direita conservadora e entreguista.

O ato de filiação foi a prova de que o partido tem espaço e continua crescendo.

Resumo da semana de 25 de setembro a 01 e outubro

Segunda (25/09), tivemos um dia de reuniões, na sede do Sindipetro Bahia. Primeiro, da Comissão de Controle de Custos e Gestão Administrativa, pela manhã, e, depois, do Plenário do Sistema Diretivo, pela tarde.

Das 19h às 20h, fizemos mais uma transmissão do CARA A CARA, pelo Facebook, sobre a Redução do Efetivo Mínimo das Unidades Operacionais do Sistema Petrobrás na Bahia com a participação da Dra. Leda Leal, Pesquisadora na área da Ergonomia e aposentada da FUNDACENTRO e do Dr. Clériston Bulhões, Assessor Jurídico do Sindipetro Bahia.

 

Terça-feira, das 7h às 9h, fizemos uma boa Assembleia com Petroleir@s da Turma 1 da RLAM e UTE-CF e do Administrativo da RLAM, no Portão principal da Refinaria Landulpho Alves com excelente participação da Categoria Petroleira na Campanha Reivindicatória de 2017.

Nessa Assembleia, tivemos a presença de 123 pessoas que aprovaram os indicativos da FUP e seus Sindicatos, a saber:

I- Rejeição da primeira contraproposta da gestão empresa para o ACT 2017/2019;
II- Posição de que “Com redução de direitos não tem acordo”, e;
III- Estado de greve e de assembleia permanente.

Com o seguinte resultado:

A favor: 123
Contra: 0
Abstenção: 0

 

Das 15h às 17h, fizemos outra boa Assembleia com Petroleir@s, agora, da Turma 4 da RLAM e UTE-CF, no Portão principal da Refinaria Landulpho Alves com excelente participação da Categoria Petroleira na Campanha Reivindicatória de 2017.

Nessa Assembleia, tivemos a presença de 47 pessoas que aprovaram os indicativos da FUP e seus Sindicatos, a saber:

I- Rejeição da primeira contraproposta da gestão empresa para o ACT 2017/2019;
II- Posição de que “Com redução de direitos não tem acordo”, e;
III- Estado de greve e de assembleia permanente.

Com o seguinte resultado:

A favor: 47
Contra: 0
Abstenção: 0

 

Dia 27/09, das 7h às 9h, fizemos outra boa Assembleia com Petroleir@s, agora, da Turma 3 da RLAM e UTE-CF e do Administrativo da UTE-CF, no Pátio de Carretas da Refinaria Landulpho Alves com excelente participação da Categoria Petroleira na Campanha Reivindicatória de 2017.

Nessa Assembleia, tivemos a presença de 68 pessoas que aprovaram os indicativos da FUP e seus Sindicatos, a saber:

I- Rejeição da primeira contraproposta da gestão empresa para o ACT 2017/2019;
II- Posição de que “Com redução de direitos não tem acordo”, e;
III- Estado de greve e de assembleia permanente.

Com o seguinte resultado:

A favor: 68
Contra: 0
Abstenção: 0

 

 

Na quinta-feira, das 7:30h às 9:30h, fizemos outra boa Assembleia com Petroleir@s, agora, do Administrativo e Turno e Taquipe, em frente ao Setor de Transportes com excelente participação da Categoria Petroleira na Campanha Reivindicatória de 2017.

Nessa Assembleia, tivemos a presença de 82 pessoas que aprovaram os indicativos da FUP e seus Sindicatos, a saber:

I- Rejeição da primeira contraproposta da gestão empresa para o ACT 2017/2019;
II- Posição de que “Com redução de direitos não tem acordo”, e;
III- Estado de greve e de assembleia permanente.

Com o seguinte resultado:

A favor: 82
Contra: 0
Abstenção: 0

 

 

Dia 29, das 7:30h às 9:30h, fizemos outra boa Assembleia com Petroleir@s, agora, da Turma 5 da RLAM/UTE-CF, em frente ao Portão 1 da Refinaria Landulpho Alves com excelente participação da Categoria Petroleira na Campanha Reivindicatória de 2017. Com certeza, a melhor Assembleia, até o momento!

Nessa Assembleia, tivemos a presença de 47 pessoas que aprovaram os indicativos da FUP e seus Sindicatos, a saber:

I- Rejeição da primeira contraproposta da gestão empresa para o ACT 2017/2019;
II- Posição de que “Com redução de direitos não tem acordo”, e;
III- Estado de greve e de assembleia permanente.

Com o seguinte resultado:

A favor: 47
Contra: 0
Abstenção: 0

 

 

Sexta-feira a tarde, fomos jogar futebol e comer Caruru, no Campo do Lasca, no bairro da Ribeira, em Salvador – Bahia, com aposentados e amigos da Petrobrás.

 

Dia 03 de Outubro – Dia de Luta Pela Soberania Nacional

Convocamos tod@s para o ato em defesa da soberania nacional, no Centro do Rio, na próxima terça-feira, dia 03 de outubro.
Estaremos junt@s, trabalhador@s e representantes de entidades das mais diversas categorias e segmentos sociais, nesse grande ato contra a entrega do patrimônio público e em defesa da Soberania Nacional.  Nesta data, a Petrobrás, principal empresa do país, completará 64 anos de existência e resistência à sanha dos entreguistas.

Resumo da semana de 18 a 24 de setembro de 2017

Iniciamos a semana com um dia cheio de reuniões importantes para o Sindipetro Bahia e a Categoria Petroleira, além do lançamento do programa Cara a Cara com a Categoria, no Facebook.

10h – reunião da comissão de controle de custos e gestão administrativa;
14h – reunião da Diretoria Executiva;
19:30h – Cara a Cara com a Categoria.

 

No dia 21, tivemos uma Reunião preparatória para a rodada de negociação do Acordo Coletivo de Trabalho com a gestão do Sistema Petrobrás.
Em seguida, uma reunião de negociação do Acordo Coletivo de Trabalho d@s Empregad@s do Sistema Petrobrás.

Quinta-feira a noite, fomos para o “Vamos RJ” um  debate a democratização da economia na Praça da Cinelândia.

VAMOS democratizar a economia do Brasil com a Força do Povo!

 

 

 

No dia 22, participamos do Conselho Deliberativo (CD) da Federação Única d@s Petroleir@s (FUP), juntamente com Radiovaldo, PC, Rosangela, Ubiraney e Urpia representando o Sindipetro Bahia, nesse colegiado que reúne todos os sindicatos filiados e direção da FUP, para avaliar e definir os próximos passos da campanha reivindicatória e a negociação do acordo coletivo 2017/2019.

A proposta da empresa é inaceitável e só com unidade e luta poderemos mudar essa afronta e manter nossos direitos e o Sistema Petrobrás integrado.

Essa semana, a direção do Sindipetro Bahia, vai estar colocando em prática as deliberações desse CD, mostrando para a direção entreguista do Sistema Petrobrás que não vamos aceitar nenhum direito a menos e a Privatização de nossos ativos.

JUNTOS SOMOS + FORTES!!!!

Entenda o que pode acontecer com os trabalhador@s, aposentad@s e pensionistas se o Plano de Equacionamento Petros 1 for sancionado

O Conselho Deliberativo da Petros aprovou no dia 12 de setembro, o Plano de Equacionamento do Déficit (PED) do Plano Petros do Sistema Petrobras (PPSP), resumindo, uma imposição aos funcionári@s e aposentad@s de assumir e pagar o rombo de R$ 14 bilhões, de uma dívida que totaliza R$27,7 bilhões.

Caso isso aconteça, o pagamento será proporcional ao salário de cada assistido, por exemplo um funcionário da ativa que ganha R$5.000,00 o desconto nos próximos 18 anos vai ser de 13,5%, totalizando R$679,76 pro mês. Será que os trabalhadores e trabalhadoras entenderam essa situação? Para os aposentados e aposentadas a situação pode ser ainda pior, o valor a ser pago mensalmente pode chegar a 19,2%.

Na última terça-feira (19), a FUP ingressou na justiça uma ação para impedir a cobrança abusiva das contribuições adicionais dos assistidos do Plano Petros 1. “Sabemos que a tarefa não é fácil, mas, o movimento sindical, de forma responsável, vai buscar, mais uma vez, garantir uma solução para o PP-1, como fizemos durante a repactuação e o AOR, que deu uma importante sobrevida para o plano”, afirma o coordenador da FUP, José Maria Rangel.

Para Deyvid Bacelar, esse equacionamento do Plano Petros 1 é um desrespeito aos trabalhadores, trabalhadoras, aposentados, aposentadas e pensionistas, pois estão querendo que os participantes e assistidos assumam a conta de problemas e equívocos estruturais que não são de responsabilidade deles.

 

 

 

 

 

Página 2 de 141