Você é o nosso convidado

Seminário 1 Seminário 2

Resumo da semana de 15 a 21 de agosto

Iniciamos a semana participando de mais uma reunião com a Diretoria Executiva do Sindipetro Bahia, que deliberou sobre temas importantes para a Categoria Petroleira.

Mais um dia, com a agenda cheia de atividades sindicais.

Vamos à luta!

15.08 noite

Na noite de segunda-feira, fomos para o evento de lançamento do Comitê Estadual em Defesa das Estatais, Se é Público é Para Todos, com a presença do professor Emir Sader, que lançou o seu livro “O Brasil que Queremos”.

“Quando os neoliberais voltam ao poder, a demonização do Estado entra no centro do debate” (Emir Sader).

 

16.08

Greve da BR Distribuidora entra no 2º dia e intransigência da empresa ameaça fornecimento de combustível

Nesta terça (16\08), segundo dia de greve dos petroleiros da BR Distribuidora, a adesão dos trabalhadores só faz aumentar nas unidades de Salvador (sede Stiep), Camaçari (BACAM), Mataripe (BAMAT), DEROD e Itabuna (BAUNA). A DEROD, que fica na BR 324, é responsável pela distribuição de lubrificantes na Bahia, Sergipe e Alagoas e todas as atividades estão paradas.

A força dos grevistas surpreendeu as gerências da BR Distribuidora em todas as unidades do estado e já afeta o abastecimento de combustíveis oriundo da base de Mataripe – distribuído para Salvador e Região Metropolitana – e também da base de Itabuna – que abastece todo o Sul da Bahia. No segundo dia de paralisação, os caminhões tanques estão congestionando as margens da rodovia BA 523, enquanto dezenas de outros permanecem nas garagens das empresas.

Com a greve, a falta de óleo combustível distribuído pela BR atinge também as Termoelétricas BA-1, Arembepe e Murici. Na UTE Arembepe, que tem capacidade de gerar 130 MW, no momento está parada e sem previsão de partida (programação). A unidade só volta a rodar a planta se o COE (Rio) solicitar.

O óleo armazenado, caso a planta venha a operar, dará apenas para três dias, no máximo, trabalhando 24h.

A UTE Bahia tem capacidade para trabalhar com 35 MW, mas está com capacidade de apenas 28 MW, com previsão de também paralisar suas atividades.

A UTE Murici tem capacidade para trabalhar com 140 MW, mas o óleo armazenado só garante funcionamento no máximo por três dias.

O objetivo do movimento paredista é barrar a venda da subsidiária da Petrobrás, assim como o desmonte da empresa pelo governo interino, que já colocou à venda diversos ativos da estatal. A luta é contra a entrega de 51% das ações da subsidiária ao capital privado e já atinge dez estados do país: RJ, BA, SP, RS, PE, AM, MG, SE, CE e RN.

As informações são do comitê de greve do SIMCOLBA.

17.08

Greve da BR Distribuidora entra no 3º dia e empresa recorre ao judiciário; fornecimento de combustível continua ameaçado por conta da intransigência da gestão

Nesta quarta (17\08), terceiro dia de greve da BR Distribuidora, os trabalhadores mantêm a adesão e a greve continua forte nas unidades de Salvador (sede Stiep), Camaçari (BACAM), Mataripe (BAMAT), DEROD e Itabuna (BAUNA). A DEROD, que fica na BR 324, é responsável pela distribuição de lubrificantes na Bahia, Sergipe e Alagoas e todas as atividades estão paradas.

Além dessas unidades, a GEOPAR, que fica em Camaçari, está também paralisada desde o dia 15\08. Esta unidade da BR Distribuidora é a maior distribuidora da ARLA 32 da América Latina (a Fafen faz a mistura da água com a ureia), um reagente usado juntamente com o sistema de redução catalítica seletiva – SCR – para diminuir quimicamente as emissões de óxido de nitrogênio presente nos gases de escape dos veículos a diesel.

A força dos grevistas surpreendeu as gerências da BR Distribuidora nestes três dias em todas as unidades do estado e só faz aumentar o risco do abastecimento de combustíveis oriundo da base de Mataripe – distribuído para Salvador e Região Metropolitana – e também da base de Itabuna – que abastece todo o Sul da Bahia. Os caminhões tanques continuam ou parado nas garagens das empresas ou congestionando várias rodovias, como a BA 523.

Para furar o bloqueio da greve, a BR passou a usar motoristas de outras empresas, a usar as instalações da Petrobahia para abastecer caminhões e gravidade maior: caminhões da BR estão saindo sem nota fiscal, sendo faturado depois em garagens particulares, uma tentativa de burlar o fisco.

Com a greve, a falta de óleo combustível distribuído pela BR atinge também as Termoelétricas BA-1, Arembepe e Murici. Na UTE Arembepe, que tem capacidade de gerar 130 MW, no momento está parada e sem previsão de partida (programação). A unidade só volta a rodar a planta se o COE (Rio) solicitar.

O óleo armazenado, caso a planta venha a operar, dará apenas para mais dois dias, no máximo, trabalhando 24h.

A UTE Bahia tem capacidade para trabalhar com 35 MW, mas está com capacidade de apenas 28 MW, com previsão de também paralisar suas atividades.
A UTE Murici tem capacidade para trabalhar com 140 MW, mas o óleo armazenado só garante funcionamento no máximo por dois dias.

O objetivo do movimento paredista é barrar a venda da subsidiária da Petrobrás, assim como o desmonte da empresa pelo governo interino, que já colocou à venda diversos ativos da estatal. A luta é contra a entrega de 51% das ações da subsidiária ao capital privado e já atinge dez estados do país: RJ, BA, SP, RS, PE, AM, MG, SE, CE e RN.

O comitê de greve do SIMCOLBA tomou conhecimento que a BR Distribuidora teve deferida uma liminar de uma das Varas do Trabalho de Salvador, em uma ação chamada interdito proibitório. Essa é uma ação que discute direito de posse e não de greve. A juíza não proibiu a greve, nem poderia, porque ela é um direito constitucional dos trabalhadores. A liminar é para garantir o uso do imóvel e o direito de ir e vir – entrar e sair na unidade – sendo a orientação então que a decisão judicial é para ser cumprida, portanto, os grevistas não podem colocar carros ou objetos que fechem os acessos da empresa. A greve tem que ser feita na forma da lei. Se a ordem não for cumprida acarretará multas à entidade sindical.

Ainda segundo o comitê de greve do SIMCOLBA, o melhor é fazer o convencimento dos trabalhadores no boca a boca, usando faixas; tudo esta transcorrendo na paz, mas caso a polícia chegue no local, sempre dialogar e demonstrar que o papel do grevista ali é exercer o direito de aliciar mais grevistas, pois convencer o trabalhador a aderir a greve também é um direito.

As informações são do comitê de greve do SIMCOLBA.

17.08 noite

À noite participamos de uma ótima roda de conversa com estudantes da UFSB, promovida pelo Levante Popular da Juventude, sobre a conjuntura nacional e o processo de privatização das empresas públicas e entrega das riquezas naturais de nosso país.

Boa participação e debate com o movimento estudantil e com boas falas da companheira Ingrid do LEVANTE e Erick do SINDAE.

18.08

Dia 18, pela manhã, fizemos uma visita ao piquete de greve da BAUNA – Base de Itabuna da BR Distribuidora e Transpetro, onde participamos de um bom bate papo com @s petroleir@s da BR Distribuidora, Transpetro e Petrobrás junt@s com militantes do MST e LEVANTE sobre a conjuntura nacional, informes sobre essa greve de 5 dias, a situação da Petrobrás e a necessidade inevitável da realização de uma GREVE NACIONAL DA CATEGORIA PETROLEIRA POR TEMPO INDETERMINADO EM TODO SISTEMA PETROBRÁS e de uma GREVE GERAL em nosso país contra o desmonte e privatização das Estatais, a entrega de nossas riquezas e a retirada de Direitos da Classe Trabalhadora.

“Quando o Campo e a Cidade se unir, a burguesia não vai resistir”!

“Água e energia não são mercadorias”!

“Se é Público é pra todos”!

Estamos tod@s no mesmo barco!

JUNTOS SOMOS MAIS FORTES!

18.08 tarde

Durante a tarde, visitamos o Assentamento Loanda do MST para reunião com lideranças do movimento na região e maior aproximação do Movimento Sindical Petroleiro com a Via Campesina no Estado da Bahia.

“MST, essa luta é pra valer”!

19.08

 

Trabalhadores fazem greve histórica e vitoriosa na BR Distribuidora

Após cinco dias, chegou ao fim, nessa sexta-feira, 19/08, mais uma greve vitoriosa e histórica para a categoria petroleira. A paralisação das atividades na BR Distribuidora, que é parte fundamental do sistema Petrobrás, trouxe uma série de ensinamentos, entre eles sem dúvida foi o da mobilização espontânea sem nenhum tipo de inserção ou provocação por parte das entidades sindicais, os trabalhadores cruzaram os braços nos principais terminais e bases de distribuição na Bahia para apoiar a mobilização e lutar pela sua empresa.

O Comitê de Greve fez um balanço desses cinco dias e sinalizou os impactos gerados pela greve na BR Distribuidora, entre eles a paralisação das atividades nas bases de distribuição no estado que consequentemente levou ao desabastecimento de vários postos de combustíveis da região metropolitana de Salvador e sul da Bahia.

Apesar da intransigência da empresa em não querer negociar um acordo com os trabalhadores e cota mínima de produção para atender as demandas da população, o objetivo foi alcançado. O Comitê comemora “os trabalhadores conseguiram demonstrar a sua força, quando ele entende o seu papel a sua importância e mostra isso para a gestão da Petrobras, esperamos que isso sinalize uma mudança na tomada de decisão do Conselho de Administração da empresa que está aí deliberando pela venda de praticamente todo o sistema trabalho”.

O movimento paredista foi vitorioso e vai gerar impactos positivos na luta contra o desmantelamento, mesmo que a gestão da BR não tenha deixado avançar nas negociações. Infelizmente, a empresa preferiu usar medidas judiciais, aparato policial e da segurança patrimonial para tentar reprimir o movimento pacífico dos trabalhadores.

Essa greve teve um papel importante para a sociedade brasileira, pois implementa pela primeira vez um impedimento na distribuição de derivados na Bahia, já que nunca no Brasil foi realizada uma movimentação somente na BR Distribuidora que impactasse diretamente no abastecimento. Para o Comitê “não se trata de mais uma luta apenas da categoria, mas uma luta da sociedade brasileira que precisará mais uma vez dizer que o petróleo pertence ao povo brasileiro”.

JUNTOS SOMOS MAIS FORTES!!!

DEFENDER O SISTEMA PETROBRÁS É DEFENDER O BRASIL!!!

20.08

À noite fomos na Av. Getúlio Vargas – 1.688, onde aconteceu a inauguração do Comitê da Campanha de Zé Neto para Prefeito de Feira de Santana.

Bom encontrar militantes do PT, PC do B, PDT e PTN imbuídos em um só propósito e reencontrar companheir@s e amig@s que estão com toda disposição e garra para elegermos Zé Neto Prefeito, reelegermos Alberto Nery e Beldes Ramos como bons Vereadores e elegermos novos Vereadores, como Tarcisio BrancoPaulo de TarsoDanilo FerreiraMarkus Di Avlis,Adriano Costa e outros para a tão sofrida Câmara de Vereadores de Feira de Santana.

Temos os melhores nomes, boas propostas e um excelente time para fazer essa disputa nos 42 dias de campanha que nos faltam.

JUNTOS SOMOS MAIS FORTES!

20.08 manhã

Na manhã de sábado, participamos de uma alegre e representativa Plenária de lançamento da candidatura de Moisés Rocha a vereador de Salvador.

Moisés Rocha vai para o seu terceiro mandato popular com o apoio dos movimentos sociais, cultural, sindical, lideranças comunitárias e políticas dos bairros da cidade do Salvador, como São Caetano, Liberdade, Nazaré e outros.

Nós da categoria petroleira (ativos, aposentados e pensionistas), também, estamos fechados com Moisés, pois tem estado conosco em todas as lutas em Defesa da Petrobrás, do Pré-Sal e dos nossos Direitos, desde a distribuição dos boletins a reuniões, setoriais, assembleias, manifestações, paralisações e greves.

Vamos reeleger o nosso Vereador e Companheiro Moisés Rocha, homem do Povo, homem da Luta, parlamentar que, realmente, nos representa!

20.08 noite

À noite foi de Maria, a nossa linda bailarina, que se apresentou junto com suas colegas da Prelúdio no Encontro de Dança das Academias e Escolas de Feira de Santana.

Belo evento na cidade que lotou o teatro do Centro de Cultura e Arte Maestro Miro com apresentações de diversos estilos de dança com pessoas de várias idades, cores e corpos.

Parabéns a nossa filhinha Maria Bacelar.

 

 

Resumo da semana de 08 a 14 de agosto

08.08

No final da tarde de segunda-feira, participamos de uma boa assembleia convocada pelos associados e presidente do SIMCOLBA para aprovação da greve d@s Petroleir@s da BR Distribuidora no Estado da Bahia.

A Assembleia foi bastante participativa e aprovou a greve a partir do dia 15/08 (segunda) por unanimidade.

A BR unida jamais será vendida!

JUNTOS SOMOS MAIS FORTES!

Rumo à greve nacional da categoria petroleira por tempo indeterminado.

09.08

No dia 09, fomos para a Refinaria Landulpho Alves (a primeira do Brasil), e tivemos um dia inteiro setoriais com o pessoal do turno de revezamento nas Casas de Controle Locais e na troca de turno da tarde entre as Turma 5 e Turma 2, orientando os trabalhadores a não assinarem planilha de medição de tempos e movimentos da tal “organização e método de trabalho de operação”.

10.08

Quarta-feira pela manhã, fui mais o companheiro Josenilton Ferreira Pereira (Cebola da CUT), Diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de Feira de Santana, à Primeira Refinaria do Brasil para fazer novas setoriais com outras duas turmas de turno de revezamento, a Turma 4 entrando e a Turma 3 saindo.

Nessas setoriais na troca de turno, orientamos os trabalhadores a não assinarem planilha de medição de tempos e movimentos da tal “organização e método de trabalho de operação” e demos informes sobre a luta em Brasília contra a entrega do Pré-Sal Brasileiro a petrolíferas internacionais, que ocasionou a prisão de dois dirigentes sindicais Petroleiros, Gustavo MarsaioliClaudio Nunes.

 

Depois das setoriais da manhã, na RLAM, participamos do seminário de preparação para as categorias em campanhas salariais no segundo semestre 2016 com Ana Georgina do DIEESE e Dr. Clériston Bulhões da LMB Assessoria Jurídica.

SEMINÁRIO DAS CATEGORIAS EM CAMPANHA SALARIAL NO 2° SEMESTRE.

CLÉRISTON BULHÕES, advogado trabalhista, abordou sobre os “ASPECTOS JURÍDICOS DAS NEGOCIAÇÕES COLETIVAS”.

ANA GEORGINA, supervisora técnica do DIEESE, falou sobre o atual “CENÁRIO ECONÔMICO”.

Boa participação e debate dos dirigentes sindicais ali presentes, no Auditório da CUT BAHIA com nossas assessorias.

Após o seminário, fizemos uma reunião para Organização de nosso Ato do dia 16/08 (terça) contra a retirada de Direitos da Classe Trabalhadora e em Defesa da Democracia.

JUNTOS SOMOS MAIS FORTES!

11.08 2 11.08

Dia 11, organizamos mais uma Assembleia com os Petroleiros da Usina Termelétrica Muricy onde, junto com o companheiro Otaviano Júnior, demos informes sobre a conjuntura nacional, plano de privatização da Petrobrás e Campanha Reivindicatória, bem como tiramos alguns encaminhamentos para tratar demandas específicas da base, como os problemas que estão tendo com a alimentação e vestiários.

Outra equipe da direção do Sindipetro Bahia, formada por André Araújo, Gilson Sampaio (Morotó) e Jorge M Santos Mota, fez o mesmo trabalho na UTE-Arembepe.

Dessa forma, vamos mobilizando toda a categoria petroleira para a nossa GREVE NACIONAL NO SISTEMA PETROBRÁS e para a GREVE GERAL.

JUNTOS SOMOS MAIS FORTES!!!

12.08 tarde

À tarde, no auditório do Sindipetro Bahia, após retornarmos das assembleias e setoriais nas nossas bases, participamos das homologações de diversos Petroleiros e Petroleiras que estão se aposentando pelo PIDV da Petrobrás e se despedindo da Ativa para estar conosco como nov@s aposentad@s e associad@s do Sindipetro Bahia.

 

12.08 tarde

Sexta-feira a conversa com a Turma 1 foi muito boa e tivemos uma boa participação da operação abordando sobre a Conjuntura Nacional com o companheiro Miguel Ferraro, além de orientações sobre problemas específicos da categoria, como a tentativa de redução do efetivo mínimo das unidades de processo da Refinaria.

12.08 2

À tarde fomos prestigiar o MST na II Feira Estadual da Reforma Agrária. Aproveitamos para apreciar o alimento que vem do campo sem veneno para o cidade de Salvador e atualizando as notícias com as companheiras e companheiros do MST.

 

Há uma parte de mim que está em constante construção e arrisco dizer que essa seja a minha parte mais bonita. Parabéns a todos os companheiros e amigos que são pais ou ainda vão ser!

Parabéns, também, a todas as companheiras e amigas que com muita luta representam os dois papeis!

#Feliz‎DiaDosPais‬ ‪
#‎JuntosSomosMaisFortes

Untitled-1

Petroleiros da BR Distribuidora entram em greve a partir de segunda, 15/08

Por Sindipetro Bahia

Os trabalhadores da BR Distribuidora decidiram entrar em greve a partir do dia 15/08. A decisão foi tomada por unanimidade em assembleia, em frente à sede da empresa, localizada no bairro do STIEP, com grande participação dos trabalhadores.

A diretoria do Sindipetro Bahia esteve presente e demonstrou a sua solidariedade com a categoria e ao SIMCOLBA, nesse movimento grevista, que visa barrar a venda da subsidiária da Petrobrás, assim como o desmonte da empresa pelo governo interino e que já colocou à venda diversos ativos da estatal. Além da Bahia – a greve é nacional – os trabalhadores aprovaram também em MG, AM, SE, PE, RJ, SP, RS e nos demais estados as assembleias ocorrem até o fim de semana.

Por que entrar em greve?

As paralisações nas unidades da Petrobrás Distribuidora só tem um objetivo: barrar a venda empresa. Apesar de não ser divulgada como privatização, a parte estratégica da companhia vai para as mãos do capital estrangeiro. A Petrobrás Distribuidora é a maior distribuidora de combustíveis e lubrificantes do país, já a Liquigás é a segunda maior na distribuição de GLP. Entenda porque privatizar as duas companhias é ruim para o Brasil.

– Além de serem fundamentais para o fluxo de caixa da Petrobrás, a BR e a Liquigás têm função estratégica e social fundamentais para o País.

– Ambas garantem o escoamento dos derivados produzidos pela Petrobrás evitando a asfixia das refinarias.

– Abastecem de combustíveis e botijões de gás de cozinha os confins do Brasil.

– Operam, a preços competitivos, o suprimento de toda a cadeia de insumos das atividades de prospecção, perfuração e produção de petróleo e gás. Além disso, atuam de forma sustentável, pois são lucrativas e eficientes.

– A BR integra o Sistema de Segurança Nacional, pois atende aos abastecimentos das Forças Armadas, que assim, não depende de entidades privadas ou de empresas de capital estrangeiro em qualquer situação que o País enfrente. Esse fato reflete diretamente na defesa da soberania nacional.

– A BR abastece e presta assistência técnica para a maioria das indústrias nacionais.

– A Liquigás é líder em venda de gás de cozinha (P13) e atua em 23 estados brasileiros, já a BR está em todos os estados brasileiros. Ambas as empresas estão em locais aonde as suas concorrentes não vão, dado o baixo retorno e o que é essencial: geram milhares de empregos indiretos em todo o País.

– A BR garante aos três níveis de governo o fornecimento de asfaltos e emulsões para o desenvolvimento e implantação de estradas em todo o País.

– Ambas as empresas regulam os preços do mercado e introduzem desenvolvimento tecnológico.

– A BR possui a maior fábrica de lubrificantes da América Latina, produzindo com altas e recentes tecnologias.

A marca BR, antes restrita à rede de postos, projetou-se em todo o País e foi adotada para identificar todo o Sistema Petrobrás. Já a Liquigás, é grande conhecida da população. Outra empresa que corre sérios riscos é a Transpetro.

http://www.sindipetroba.org.br/novo/noticia.php?id=6958

Página 1 de 94