“Que herói a direita tem para colocar em camisetas? Pinochet?”

Há tempos, a imprensa golpista trabalha arduamente em suas redações para destruir as estruturas criadas por trabalhador@s e para os trabalhador@s, bem como os ícones, heróis e heroínas, filósof@s, teóric@s e todo conteúdo simbólico de insurgência contra a força do capital e o imperialismo.

Lembro-me de uma matéria de 2007, onde a VEJA gastava uma edição inteira no foco de destruir a imagem de Ernesto Che Guevara e, sem qualquer vergonha, citava na integra o relato de um dos assassinos, onde contava que Che havia sido morto por um sargento bêbado, com pulsos amarrados, desarmado, ferido e indefeso.

Que herói a direita tem para colocar em camisetas?

A imprensa golpista não pode contrapor a Che, pois para fazê-lo teria de discutir a fundo a revolução cubana, seus erros e acertos, seus méritos e deméritos e, ao fazê-lo, lhe restariam poucas vantagens. Optam pelo caminho mais fácil, o da calunia sistemática. Mentem sobre os fatos e silenciam sobre as verdadeiras opiniões do verdadeiro Guevara.

Che vive! Ele vive e todos os seus assassinos serão esquecidos!

Resumo da semana de 02 a 08 de outubro de 2017

Segunda-feira, das 7h às 9h, fizemos uma boa Assembleia com Petroleir@s, agora, da Turma 2 da RLAM/UTE-CF, em frente ao Portão 1 da Refinaria Landulpho Alves com excelente participação da Categoria Petroleira na Campanha Reivindicatória de 2017. Com certeza, a melhor Assembleia, até o momento!

Nessa Assembleia, tivemos a presença de 43 pessoas que aprovaram os indicativos da FUP e seus Sindicatos por unanimidade, a saber:

I- Rejeição da primeira contraproposta da gestão empresa para o ACT 2017/2019;
II- Posição de que “Com redução de direitos não tem acordo”, e;
III- Estado de greve e de assembleia permanente.

Com o seguinte resultado:

A favor: 43
Contra: 0
Abstenção: 0

 

Seguimos juntos aqui no Rio de Janeiro no dia 03, dia de luta pela soberania nacional. Vamos a luta, porque a luta continua e defender a Petrobrás é defender o Brasil!

 

Quarta-feira foi dia de reunião da Diretoria da FUP – Federação Única d@s Petroleir@s, debatendo as estratégias para a Campanha Reivindicatória e luta contra o Desmonte e Privatização do Sistema Petrobrás.

Defender a Petrobrás é Defender o Brasil!

 

 

Dia 05, tivemos uma boa reunião de negociação com a Gestão do Sistema Petrobrás, nós da FUP e seus Sindicatos defendemos o direito à vida d@s Petroleir@s e reafirmamos que “com redução de direitos, não há acordo”.

 

Sexta-feira, das 10h às 18h, tivemos mais uma reunião do Conselho Deliberativo da Federação Única d@s Petroleir@s (CD da FUP), que reúne a direção da FUP e representantes de seus 13 sindicatos filiados.

Pela manhã, tivemos uma brilhante análise da Conjuntura Internacional e Nacional com o Deputado Federal Nelson Pellegrino (PT-BA), que, também, ajudou no debate de temas importantes para a Categoria Petroleira e a Classe Trabalhadora.

Pela tarde, fizemos uma avaliação da reunião de negociação de ontem com a gestão do Sistema Petrobrás; avaliação das assembleias e do sentimento obtido nas nossas bases para a realização de uma greve; informes sobre as nossas ações contra o equacionamento do Plano Petros 1; informes sobre a audiência pública sobre a RMNR no TST (27/10), e; encaminhamentos para os próximos passos nessa Campanha Reivindicatória contra a Privatização do Sistema Petrobrás e a retirada de Direitos da Categoria Petroleira.

Em breve, teremos um Informe FUP com maiores detalhes dos encaminhamentos desse CD da FUP de hoje.

JUNTOS SOMOS + FORTES.

 

Com a presença de trabalhadores da ativa, aposentados e pensionistas, aconteceu na manhã do sábado, 07/10, no Clube 2004, mais uma de uma série de palestras que estão sendo realizadas pelo conselheiro deliberativo eleito da Petros, Paulo César Martin (PC), com o objetivo de informar e tirar dúvidas a respeito do equacionamento do Plano Petros 1 (PP-1). O Seminário de Qualificação de Greve, que aconteceria após a palestra foi adiado e será realizado no dia 16/10, ás 18h, na sede do Sindipetro.

Durante a palestra, PC esclareceu sobre o funcionamento do PP-1, mostrando através de números e gráficos, os problemas estruturais do plano, que “são de responsabilidade exclusiva dos gestores”, que levaram ao déficit de R$ 27,7 bilhões. O conselheiro afirmou que a Petros poderia ter optado por fazer o equacionamento pelo valor mínimo, mas “preferiu penalizar os assistidos e participantes, desequilibrando e inviabilizando a vida de muitos”.

Ele questionou o fato de a Petros aprovar o equacionamento pelo valor máximo sem ao menos esperar o resultado do recadastramento que “pode alterar significativamente o valor de componentes do déficit, como por exemplo, o da família real”. Ele também falou sobre a importância da repactuação e do Acordo de Obrigações Recíprocas (AOR), que deu sobrevida ao PP-1, fazendo com que a Petrobrás e demais patrocinadoras reconhecessem dívidas históricas que tinham com o plano.

O conselheiro lembrou ainda a luta e as denúncias da Federação que há mais de 15 anos alerta para o fato de que o déficit do PP-1 não estava sendo registrado contabilmente. O que fez com que a FUP ingressasse na justiça com uma Ação Civil Pública, em 2001, cobrando da Petrobrás e demais patrocinadoras o pagamento das dívidas com o PP-1. No mês de setembro deste ano, a Federação também ingressou com uma interpelação judicial contra a direção da Petros e uma ação contra o equacionamento abusivo do plano.

PC respondeu a muitas perguntas, esclareceu dúvidas e ressaltou a importância da continuidade do debate em busca de uma solução para o assunto. Entre os presentes foi consenso que a direção da Petrobrás tem que pagar sua dívida com a Petros. O coordenador do Sindipetro Bahia, Deyvid Bacelar, afirmou que o equacionamento pelo máximo não resolve os problemas do plano e que o caminho para uma solução é conjunto “nesse caso não há bóia de salvação individual”. Ele lembrou também que as palestras vão continuar até que todos e todas se sintam esclarecidos sobre o assunto e entrem nessa luta, juntamente com a FUP e sindicatos filiados.

 

 

SISTEMA DE CONSEQUÊNCIAS PRA QUEM?

Por FUP

O coordenador do Sindipetro Bahia, Deyvid Bacelar, criticou duramente o sistema de consequências da empresa, que pune trabalhadores e protege os gestores, enquanto os acidentes seguem fazendo vítimas. As regras de ouro são uma prova disso. “A empresa cria procedimentos, mas os próprios gestores descumprem”, ressaltou, ao citar o exemplo do recente acidente em uma sonda da Perbrás contratada pela Petrobrás na Bahia. Dois trabalhadores sofreram queimaduras graves, um deles está com 74% do corpo queimado, e as apurações iniciais da comissão de investigação do acidente apontam que uma das causas foi a decisão dos gestores de retirar os queimadores das sondas de produção, o que levou ao vazamento de gás.

Deyvid ressaltou que, mesmo com todas as denúncias feitas pelos sindicatos ao Ministério Público do Trabalho, os gestores da Petrobrás preferem pagar multas do que cumprir as determinações dos órgãos fiscalizadores.

Ato de filiação de Petroleir@s ao PT

No dia 02 de outubro, na sede do Sindicato dos Petroleiros da Bahia, 15 diretores do Sindipetro se filiaram ao Partido dos Trabalhadores, reforçando o time do PT na Bahia.

Um dos diretores, Radiovaldo Costa, que foi vereador de 2005 a 2016 (3 mandatos) e candidato a prefeito em 2016, na cidade de Alagoinhas e teve quase 12.000 votos se filiou na tarde de ontem. “O meu retorno ao PT se dá porque continuo acreditando nas bandeiras do partido e na necessidade dos trabalhadores se organizarem, principalmente nesse momento que estamos enfrentando no nosso país. A nossa vertente de defesa interna é fortalecer os trabalhadores e as trabalhadoras do campo e da cidade e o movimento sindical”, explanou Radiovaldo.

Atualmente, o PT é um dos partidos com maior força e popularidade no Brasil e segundo pesquisas, é o partido preferido dos brasileiros, mesmo com o constante ataque da mídia golpista e da direita conservadora e entreguista.

O ato de filiação foi a prova de que o partido tem espaço e continua crescendo.

Resumo da semana de 25 de setembro a 01 e outubro

Segunda (25/09), tivemos um dia de reuniões, na sede do Sindipetro Bahia. Primeiro, da Comissão de Controle de Custos e Gestão Administrativa, pela manhã, e, depois, do Plenário do Sistema Diretivo, pela tarde.

Das 19h às 20h, fizemos mais uma transmissão do CARA A CARA, pelo Facebook, sobre a Redução do Efetivo Mínimo das Unidades Operacionais do Sistema Petrobrás na Bahia com a participação da Dra. Leda Leal, Pesquisadora na área da Ergonomia e aposentada da FUNDACENTRO e do Dr. Clériston Bulhões, Assessor Jurídico do Sindipetro Bahia.

 

Terça-feira, das 7h às 9h, fizemos uma boa Assembleia com Petroleir@s da Turma 1 da RLAM e UTE-CF e do Administrativo da RLAM, no Portão principal da Refinaria Landulpho Alves com excelente participação da Categoria Petroleira na Campanha Reivindicatória de 2017.

Nessa Assembleia, tivemos a presença de 123 pessoas que aprovaram os indicativos da FUP e seus Sindicatos, a saber:

I- Rejeição da primeira contraproposta da gestão empresa para o ACT 2017/2019;
II- Posição de que “Com redução de direitos não tem acordo”, e;
III- Estado de greve e de assembleia permanente.

Com o seguinte resultado:

A favor: 123
Contra: 0
Abstenção: 0

 

Das 15h às 17h, fizemos outra boa Assembleia com Petroleir@s, agora, da Turma 4 da RLAM e UTE-CF, no Portão principal da Refinaria Landulpho Alves com excelente participação da Categoria Petroleira na Campanha Reivindicatória de 2017.

Nessa Assembleia, tivemos a presença de 47 pessoas que aprovaram os indicativos da FUP e seus Sindicatos, a saber:

I- Rejeição da primeira contraproposta da gestão empresa para o ACT 2017/2019;
II- Posição de que “Com redução de direitos não tem acordo”, e;
III- Estado de greve e de assembleia permanente.

Com o seguinte resultado:

A favor: 47
Contra: 0
Abstenção: 0

 

Dia 27/09, das 7h às 9h, fizemos outra boa Assembleia com Petroleir@s, agora, da Turma 3 da RLAM e UTE-CF e do Administrativo da UTE-CF, no Pátio de Carretas da Refinaria Landulpho Alves com excelente participação da Categoria Petroleira na Campanha Reivindicatória de 2017.

Nessa Assembleia, tivemos a presença de 68 pessoas que aprovaram os indicativos da FUP e seus Sindicatos, a saber:

I- Rejeição da primeira contraproposta da gestão empresa para o ACT 2017/2019;
II- Posição de que “Com redução de direitos não tem acordo”, e;
III- Estado de greve e de assembleia permanente.

Com o seguinte resultado:

A favor: 68
Contra: 0
Abstenção: 0

 

 

Na quinta-feira, das 7:30h às 9:30h, fizemos outra boa Assembleia com Petroleir@s, agora, do Administrativo e Turno e Taquipe, em frente ao Setor de Transportes com excelente participação da Categoria Petroleira na Campanha Reivindicatória de 2017.

Nessa Assembleia, tivemos a presença de 82 pessoas que aprovaram os indicativos da FUP e seus Sindicatos, a saber:

I- Rejeição da primeira contraproposta da gestão empresa para o ACT 2017/2019;
II- Posição de que “Com redução de direitos não tem acordo”, e;
III- Estado de greve e de assembleia permanente.

Com o seguinte resultado:

A favor: 82
Contra: 0
Abstenção: 0

 

 

Dia 29, das 7:30h às 9:30h, fizemos outra boa Assembleia com Petroleir@s, agora, da Turma 5 da RLAM/UTE-CF, em frente ao Portão 1 da Refinaria Landulpho Alves com excelente participação da Categoria Petroleira na Campanha Reivindicatória de 2017. Com certeza, a melhor Assembleia, até o momento!

Nessa Assembleia, tivemos a presença de 47 pessoas que aprovaram os indicativos da FUP e seus Sindicatos, a saber:

I- Rejeição da primeira contraproposta da gestão empresa para o ACT 2017/2019;
II- Posição de que “Com redução de direitos não tem acordo”, e;
III- Estado de greve e de assembleia permanente.

Com o seguinte resultado:

A favor: 47
Contra: 0
Abstenção: 0

 

 

Sexta-feira a tarde, fomos jogar futebol e comer Caruru, no Campo do Lasca, no bairro da Ribeira, em Salvador – Bahia, com aposentados e amigos da Petrobrás.

 

Página 1 de 140